Escolha uma Página
Portabilidade de plano de saúde: Quais cuidados tomar?

Portabilidade de plano de saúde: Quais cuidados tomar?

Na busca por reduzir os custos, muitas empresas optam por realizar a portabilidade de plano de saúde para não precisar cancelar o benefício e ajustar as contas.

Essa pode ser uma boa alternativa, tanto para quando se está pensando em mudar de operadora ou apenas de coberturas. Entretanto, é preciso adotar alguns cuidados para que a troca não gere insatisfação ou problemas.

Veja alguns pontos que merecem um pouco mais de atenção quando ocorre a portabilidade de plano de saúde.

 

Informar aos colaboradores sobre a portabilidade de plano de saúde

Antes de finalizar a troca do plano é importante conversar com os colaboradores e informar quais serão as mudanças, de que forma elas ocorrerão e os impactos que podem trazer.

Explicar mais informações, como quando o novo plano começa a vigorar, é importante para aqueles que têm consultas, exames ou tratamentos agendados possam concluí-los ou se programar para que isso seja feito já no novo plano.

Explicar o que motivou a portabilidade e como funcionará o novo plano é essencial para que eles possam continuar a utilizar o serviço tendo ciência de quais serão as alterações.

 

 

Verificar como ficam as carências

Para que a portabilidade de plano de saúde possa aproveitar a carência do plano anterior, é necessário que se tenha cumprido um período mínimo de permanência. Caso isso não ocorra e o serviço contratado tiver carência, ela deverá ser cumprida integralmente ou negociada uma redução.

O ideal é que não haja a necessidade de esperar para ter acesso aos serviços, dessa forma os colaboradores poderão utilizar imediatamente a assistência médica.

Um ponto de atenção é em relação às novas coberturas que serão inclusas, essas exigirão o cumprimento da carência e isso deve ser informado aos colaboradores.

Leia também: É possível evitar o período de carência na troca de plano de saúde?

 

Escolher um plano que esteja dentro do planejamento financeiro

A portabilidade pode ocorrer por diferentes motivos, entre eles o plano atual estar com um valor elevado ou não ser mais vantajoso. Quando se trata de dinheiro, é importante verificar as opções que se enquadram dentro do planejamento financeiro da empresa e que possam oferecer os mesmos benefícios.

Com as novas regras, não existe mais a exigência da compatibilidade de cobertura do plano de origem com o de destino. Isso pode ser bastante interessante para as empresas que desejam reduzir os custos. Assim, elas podem optar por uma operadora ou assistência médica mais acessível e que ofereça os mesmos serviços.

 

Ter uma corretora para prestar suporte

Existem muitas regras que devem ser observadas antes de fazer a portabilidade de plano de saúde. Nesse caso é recomendado ter o acompanhamento de profissionais que orientem o que é permitido e o que pode trazer prejuízos em relação às mudanças.

Uma corretora pode fazer essa análise e indicar quais são as melhores assistências médicas que se enquadram na troca e que atendem as necessidades da empresa.

Para que se possa fazer a portabilidade sem perder os benefícios já conquistados com o plano de origem e conseguir reduzir os custos, é preciso fazer uma análise dos prós e contras.

Para saber mais sobre a portabilidade de plano de saúde e fazer a coisa certa, sempre tenha o suporte de uma corretora.

 

Normas ANS: Conheça as regulamentações para plano de saúde

Normas ANS: Conheça as regulamentações para plano de saúde

Para que um plano de saúde possa funcionar no Brasil, ele deve atender algumas normas ANS, que estabelecem regras para que sejam ofertados alguns padrões mínimos de qualidade e cobertura.

Nem sempre foi assim, somente em junho de 1998 foi estabelecida uma lei que colocou regras nos planos de saúde. Para que elas pudessem ser cumpridas, no ano seguinte foi criada a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), que ficou responsável por fiscalizar e normatizar todo o setor de saúde suplementar.

Em 2019, foram mais de 47 milhões de beneficiários que puderam usufruir das normas ANS e ter um serviço de assistência médica de qualidade. Entenda um pouco mais sobre algumas regras e quais são as penalidades em caso de descumprimento.

 

Rol de procedimentos

A ANS determina que as operadoras de saúde devem oferecer um rol mínimo de procedimentos em seus planos, sendo que esses podem passar por revisão a cada 2 anos.

Os procedimentos são aqueles considerados indispensáveis no diagnóstico, tratamento e acompanhamento de doenças, porém se a operadora quiser, pode oferecer coberturas adicionais.

 

Prazos de carência

Ao contratar um plano de saúde, é preciso aguardar o prazo de carência para utilizar os serviços, ou seja, existe um tempo mínimo que varia de 24 horas a 300 dias para que se tenha acesso aos serviços, segundo as normas ANS.

Para as empresas que possuem mais de 30 funcionários, essa carência é isenta desde que a adesão seja feita em até 30 dias após a contração do serviço ou pelo mesmo período após o trabalhador iniciar suas atividades na organização.

Leia mais: Carência plano de saúde: O que é e como funciona?

 

Prazos para atendimento

Os beneficiários dos planos de saúde possuem um prazo máximo para serem atendidos de acordo com o procedimento a ser realizado. Por exemplo, consultas médicas básicas devem ser realizadas em até 7 dias, já os procedimentos de alta complexidade têm um limite de 21 dias.

Cabe às operadoras disponibilizarem profissionais dentro de sua rede credenciada para garantir esse prazo e, caso não possuam, devem indicar um profissional de fora e custear todo o atendimento.

 

Reajuste de valores

Os valores costumam sofrer reajustes anuais, isso ocorre para que possam ser cobertas despesas que venham a surgir em decorrência dos serviços prestados. Para as pessoas físicas, as normas ANS impõem que existe um limite percentual a ser estabelecido pela Agência.

Já para os planos coletivos e empresariais, não existe um percentual pré-definido. Se ocorrerá um reajuste e de quanto ele será, deverá ser definido entre as partes envolvidas.

Leia mais: Corretora de saúde: Descubra por que a Coplana é a melhor

 

Penalidades para descumprimento das normas ANS

As operadoras de saúde que não cumprirem com as normas podem sofrer penalidades que variam entre sanções administrativas, pagamento de multas, suspensão, proibição da comercialização de planos e até mesmo cancelamento da autorização de funcionamento da empresa.

As penalidades são aplicadas de acordo com a infração cometida e são agravadas em caso de reincidência, por isso o consumidor deve se atentar se está sendo atendido de acordo com as regras e caso haja problemas pode fazer denúncias à Agência.

Com todas as normas ANS, consumidores finais e empresas que contam com o plano de saúde conseguem ter garantias de que contarão com os benefícios contratados.

Checklist de como contratar um convênio médico empresarial

Checklist de como contratar um convênio médico empresarial

Para contratar um convênio médico empresarial não basta saber o valor que será cobrado pelo serviço, é preciso conhecer muito bem como funciona e fazer algumas checagens antes.

Uma das coisas a serem analisadas é a modalidade de inclusão, ela pode ser compulsória, quando todos os colaboradores são incluídos no plano de saúde ou opcional, como o próprio nome indica, apenas os colaboradores interessados e/ou selecionados farão parte dele.

Verifique a quantidade de funcionários que o plano terá, se a modalidade escolhida for opcional é necessário fazer um levantamento do interesse com antecedência. De acordo com essa informação será possível saber a quantidade de vidas e se haverá a necessidade de cumprir carência.

Dicas de como escolher o convênio médico empresarial ideal

O próximo passo para adquirir o convênio médico empresarial é escolher o plano em si. Nesse momento é preciso verificar qual será o tipo de segmentação assistencial oferecida (ambulatorial, hospitalar, com ou sem obstetrícia). Esse item  determinará os tipos de serviços que os colaboradores terão acesso no plano.

A área de abrangência, ou seja, cidades em que existe o atendimento ou se ele se estende por todo o território nacional varia de acordo com o plano. Verifique qual a necessidade da empresa; se atuar em diferentes locais, um plano mais amplo pode ser vantajoso.

É importante também verificar a rede credenciada, ou seja, quais são os locais de atendimento, como clínicas, laboratórios, hospitais e médicos credenciados. Ter variedade de opção é sempre o ideal.

Leia mais: 5 dicas de como escolher um plano de saúde para sua empresa

Pagamento do convênio

Com o plano definido, é hora de escolher os tipos de pagamento, não em relação à empresa, mas aos colaboradores. Eles podem ser contributários, quando arcam com parte do valor ou integralmente com o plano de saúde. Se optar por não ter contributários, a empresa pagará por 100% dos custos.

Outros pontos importantes

Após praticamente tudo resolvido, é hora de separar a documentação da empresa e dos colaboradores para contratar o plano de saúde. Pode ser necessário o cartão do CNPJ, contrato social, guias de recolhimento do FGTS, CPF, RG e declaração de saúde dos colaboradores.

Além de entregar os documentos, não se esqueça de pegar com a operadora ou administradora do benefício o contrato do convênio médico empresarial, é nele que estarão especificadas todas as informações em relação ao serviço contratado.

Leia mais: Corretora de saúde: Descubra por que a Coplana é a melhor

Checklist do convênio médico empresarial

Veja agora um resumo rápido de tudo o que deve ser analisado antes de contratar o convênio médico empresarial. Tenha essa relação por perto para organizar o que precisa para cuidar melhor da saúde dos colaboradores.

  • Analisar a modalidade de inclusão
  • Verificar quantidade de vidas que serão inclusas
  • Saber se haverá carência a ser cumprida e qual o prazo
  • Escolher o tipo de segmentação assistencial
  • Optar pela área de abrangência
  • Pesquisar sobre a rede de atendimento
  • Definir o tipo de pagamento
  • Organizar os documentos para fazer a adesão do plano de saúde
  • Analisar o contrato e guardar esse documento

Depois de contratar o convênio médico empresarial com cuidado, os funcionários terão acesso aos serviços que precisam, e a organização se tornará mais atrativa para os profissionais por conta desse benefício.

Conheça as melhores operadoras de saúde em SP

Conheça as melhores operadoras de saúde em SP

Antes de contratar um serviço de assistência médica é preciso conhecer as operadoras de saúde em SP e pesquisar entre as melhores, a fim de garantir um bom serviço. São muitas as empresas que oferecem planos de saúde e encontrar uma que melhor atenda às suas necessidades pode ser uma tarefa trabalhosa.

Para te ajudar nessa pesquisa, fizemos um levantamento com as operadoras de saúde em SP mais bem-conceituadas e que são de grande porte, afinal se reúnem muitos usuários significa que chegaram a esse ponto por oferecerem qualidade nos serviços prestados.

Operadoras de saúde em SP

Conheça algumas das operadoras que se destacam e entenda um pouco sobre os motivos que as colocam nessa posição.

Bradesco Saúde

Ela faz parte do Grupo Bradesco Seguros e oferece o plano de saúde apenas para empresas que tenham a partir de 3 vidas. Dentre os planos oferecidos, existem os que possuem atendimento regional até aqueles que estão disponíveis para uso em todo o território nacional.

Conforme a opção escolhida tem-se cobertura para atendimentos hospitalares, ambulatoriais, parto e até reembolso de consultas. Entre as operadoras de saúde em SP, a Bradesco Saúde oferece um diferencial, que é o “Programa Meu Doutor”.

Com ele, é possível ter acesso à agenda de especialistas selecionados pela operadora, levando em consideração a qualidade e o cuidado assistencial oferecido pelo profissional.

É importante destacar também que existem planos diferentes para empresas que possuem mais de 200 colaboradores.

Leia mais: 5 dicas de como escolher um plano de saúde para sua empresa

SulAmérica Saúde

Na SulAmérica é possível encontrar planos de saúde tanto para pessoas físicas quanto jurídicas. No caso do segundo grupo, os serviços de assistência médica são direcionados de acordo com o porte da empresa e número de vidas. A abrangência dos planos pode ser nacional ou regional.

Ela oferece alguns benefícios adicionais, como desconto em medicamentos nas farmácias credenciadas e vacinas com valores mais acessíveis.

A SulAmérica realiza periodicamente uma pesquisa de satisfação de beneficiário, onde os resultados são divulgados diretamente no site da operadora. No último levantamento feito, 90% dos beneficiários relataram que recebem de forma imediata atenção assistencial. Já são mais de 7 milhões de clientes pelo Brasil.

Amil

A Amil está presente em todo o território nacional, mas também possui planos com atuação regional. Os seus serviços são segmentados de acordo com as necessidades dos clientes, oferecendo desde coberturas mais simples, com o Amil Fácil, até um atendimento premium, com o Amil One.

Além dos procedimentos mínimos exigidos pelo rol da ANS, é possível encontrar alguns extras, como coleta domiciliar, escleroterapia e outros.

Quando falamos sobre operadoras de saúde em SP, a Amil se destaca por contar com hospitais de referência desde o plano mais básico até o mais completo. A operadora oferece também planos com ou sem coparticipação, disponibiliza sessões ilimitadas de RPG e a contratação de assistência de viagem internacional e resgate domiciliar.

Notre Dame Intermédica

Os planos da operadora são destinados a pessoas jurídicas, porém existem alguns para pessoas físicas com mais de 50 anos. Os planos empresariais se dividem em categorias que oferecem desde uma cobertura básica até uma extremamente ampla, mas todos garantem um atendimento completo com segmentação ambulatorial e hospitalar.

Para receber atendimento, é possível recorrer à rede própria ou a credenciada que estão espalhadas em diferentes pontos do país.

Unimed

A Unimed funciona um pouco diferente das demais operadoras de saúde em SP, isso porque ela atua de forma regional, sendo que boa parte dos seus planos podem ser conseguidos com essa abrangência no atendimento. Isso permite que ela ofereça um serviço mais focado nas necessidades de cada localidade e de seus beneficiários.

Entretanto, existe a possibilidade de contratar um serviço nacional por meio de sua Central Nacional e garantir a cobertura em todo o território brasileiro.

Todas as operadoras de saúde citadas são reconhecidas e atendem aos requisitos da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), isso significa que você pode optar por uma delas sem ter surpresas desagradáveis.

Depois de conhecer superficialmente as operadoras de saúde em SP, é possível entrar em contato com um corretor para ter mais detalhes e saber os valores cobrados por cada uma. Dessa forma, poderá oferecer um bom serviço de saúde aos colaboradores de sua empresa.

Por que ter um plano de saúde na sua empresa é essencial?

Por que ter um plano de saúde na sua empresa é essencial?

Investir em um serviço de assistência médica para os colaboradores da empresa nem sempre é a primeira coisa que os gestores pensam, mas quando descobrem que cerca de 75% das organizações oferecem esse benefício, esse pensamento muda. Surge o questionamento: Por que ter um plano de saúde?

Se você é um gestor, sabe que a saúde e a produtividade dos colaboradores podem estar diretamente relacionadas com os cuidados e a atenção que recebem e, nesse caso, os benefícios possuem grande influência. Então, repense a pergunta e tente encontrar uma solução.

Por que ter um plano de saúde?

Se você ainda não sabe a resposta para a pergunta: “Por que ter um plano de saúde?”, vamos dar algumas justificativas e bons motivos para contratar um plano empresarial.

Garantir o bem-estar do colaborador

Sabe-se que o sistema público de saúde possui muitas falhas, incluindo a demora no atendimento, e quando o funcionário depende apenas dele, tem maiores chances de ficar doente. Ao disponibilizar um plano de saúde empresarial, você permite que as pessoas tenham fácil acesso ao médico e possam realizar cuidados preventivos para evitar uma série de doenças.

Leia mais: 5 dicas de como escolher um plano de saúde para sua empresa

Evitar doenças e faltas

A prevenção é uma maneira de se cuidar, mas se surgirem doenças é preciso que sejam tratadas rapidamente. Ao consultar um médico e fazer exames, a pessoa descobre o seu problema e pode realizar o tratamento adequado.

Isso evita que haja transmissão de doenças entre os colaboradores e que eles precisem faltar para se cuidar.

Tranquilidade em relação à saúde dos dependentes

Muitos funcionários possuem família e quando um membro está doente eles ficam preocupados, produzem menos e precisam faltar. Se existe a possibilidade de estender o plano de saúde para eles, a pessoa vai trabalhar mais tranquila sabendo que, em caso de necessidade, está amparada e será possível contar com a ajuda de profissionais de saúde.

Será que você já está conseguindo responder à pergunta: Por que ter um plano de saúde?

Valorizar e motivar o funcionário

Existem diferentes maneiras de reconhecer o esforço dos membros de uma empresa, uma delas é oferecer o que eles precisam não apenas para realizarem o trabalho, mas para cuidarem melhor deles mesmos e de suas famílias.

Ao disponibilizar esse benefício, eles se sentem mais valorizados e motivados e isso vai refletir na forma de trabalho e no aumento da produtividade.

Atrair e reter talentos

Quando estão procurando uma oportunidade profissional, é comum avaliar o salário e os benefícios, sendo que esses últimos possuem um peso muito grande na escolha da empresa.

Os melhores profissionais do mercado escolhem onde querem trabalhar, e ter um plano de saúde na empresa pode ser um grande atrativo para eles. Já os atuais funcionários não deixarão a organização, uma vez que não querem perder as comodidades e os cuidados que possuem.

Por que ter um plano de saúde? Isenção de impostos

A empresa acaba se beneficiando de diferentes maneiras, uma delas é com a redução dos impostos.

Existem incentivos fiscais oferecidos pelo governo que permitem diminuir os ônus tributários, como descontar os valores pagos no imposto de renda.

Por que ter um plano de saúde? Agora esse questionamento deve ter sido respondido e além dos motivos apresentados no texto, você deve ter levantado outras hipóteses. Então, que tal cotar um serviço de assistência médica para sua empresa agora?

5 dicas de como escolher um plano de saúde para sua empresa

5 dicas de como escolher um plano de saúde para sua empresa

Oferecer benefícios aos colaboradores pode ser interessante para o empregador, porém é comum surgir a dúvida de como escolher um plano de saúde.

Entender o motivo de ofertar uma assistência médica é o primeiro passo para esclarecer essa questão. Esse benefício pode atrair funcionários e ajudar a reter os atuais, além de cuidar melhor da saúde dos trabalhadores, evitando que eles faltem ou se afastem por doenças.

A próxima etapa é buscar compreender o plano de saúde para fazer a escolha certa e seguir algumas dicas.

Como escolher um plano de saúde

Para decidir sobre qual plano de saúde disponibilizar para os colaboradores da empresa é preciso ficar atento a diferentes pontos. Veja alguns deles:

1. Verificar a área de abrangência

A área de abrangência se refere aos locais em que será possível conseguir atendimento, podendo ela ser regional, estadual ou nacional. Se a empresa possui atuação regional, essa pode ser uma alternativa, entretanto se possui diversas filiais espalhadas pelo país e os colaboradores viajam com frequência para elas, o nacional acaba sendo o mais indicado.

Existe também a possibilidade de se fazer o plano nacional para a área de vendas, por exemplo. Já que é um setor que tem a necessidade de locomoção por todo o país. Para colaboradores que não fazem esse tipo de locomoção o plano regional é o mais indicado.  

Leia mais: Descubra quais são os tipos de planos de saúde existentes

2. Como escolher um plano de saúde: Compare as coberturas oferecidas

Entenda as necessidades dos funcionários para contratar um plano mais adequado. O mais comum é que queiram um serviço acessível e que permita cuidar da saúde por completo.

Os planos com segmentação assistencial ambulatorial + hospitalar com obstetrícia são mais indicados por contemplarem consultas, exames e internações. Além disso, verifique se existe alguma cobertura adicional oferecida que possa ser atrativa, existem diferentes planos em cada operadora e avaliar todos atentamente é importante.

3. Analisar o período de carência

Os planos de saúde empresariais para mais de 30 vidas não possuem carência, ou seja, não será preciso aguardar para utilizar o plano se a adesão for feita quando se ingressa na empresa ou quando a assistência médica for contatada pela organização.

Já para as empresas de 02 a 29 vidas, caso estas pessoas possuam um plano, as carências também podem ser compradas e ficando assim livres a utilização. Porém, caso não possuam as seguradoras costumam trabalhar com uma redução promocional que pode ser um atrativo para a compra do plano empresarial.

Conhecer se existe ou não período de carência e informar aos colaboradores é essencial para evitar futuras reclamações em relação à utilização.